O Corpo Perfeito

Dez mulheres magérrimas de lingerie e a frase “O Corpo Perfeito” foram suficientes para despertar a ira das mulheres em todas as parte do mundo,a  começar pelos EUA.

O Corpo Perfeito

Essa é a nova campanha da Victoria´s Secret, que vem causando o maior bafafá nas redes sociais.

Três estudantes universitárias levantaram a polêmica, já que o anúncio enfatiza e define o que é um corpo perfeito. Magreza, magreza, magreza. Um corpo que pouquíssimas mulheres têm hoje em dia. E que só se consegue à base de dietas loucas ou disfunções, como a bulimia ou anorexia, com raras exceções genéticas.

Perfect Body

Uma petição online foi criada para que a marca se desculpasse publicamente da “ofensa” que fez à mulheres normais ao redor do mundo. Já são mais de 20 mil assinaturas! Olha como as pessoas estão engajadas!

E não pra menos, né?

VS nada disse a respeito. Isso desperta ainda mais raiva em todo mundo, que está enchendo as redes sociais de manifestações contrárias e demonstração de total desaprovação.

Em um tempo em que as marcas têm lançado campanhas sensacionais, valorizando o corpo comum, sem retoques, sem plásticas e sem photoshop, um anúncio desses soa como um atraso, um andar na contramão da evolução.

É mais ou menos como as marcas de lingerie que se recusam a ampliar suas coleções e criar números maiores, como o 46 e o 48 no Brasil.

Mas, enfim, ignorar o mercado crescente de mulheres que têm descoberto que podem ser lindas com o corpo que têm pode ser um tiro no próprio pé. E é isso que a VS tem feito. Ignorado as inúmeras manifestações das mulheres – que compram lingerie. Talvez para ver se se cansam e calam suas bocas ou para continuar a ver esse barulho todo. Algo como “falem mal, mas falem de mim”.

Não acredito que isso possa ser algo positivo para a marca, definitivamente. Quando os consumidores de uma marca reclamam dela, ignorá-los demonstra total falta de respeito e indiferença!

O Walmart, neste Halloween, recentemente retirou do seu site uma departamento intitulado “Fat Girls Costumes” (Fantasias para Gordas), depois de manifestações nas redes sociais. E respondeu aos clamores se desculpando. Um exemplo do que se deve fazer diante da desaprovação do mercado.

Eu me lembro de uma campanha da marca Dove que valorizou a individualidade e beleza natural das mulheres há um tempo atrás, com uma foto bem parecida com a da VS, mas com mulheres “normais”:

Victoria´s Secret

Simplesmente amo esse anúncio e o vejo circulando pela internet em diversos sites.

O comportamento de marcas como a Victoria’s Secret apenas reforça a baixa auto-estima das mulheres, que sentem que não não atrativas nem desejáveis, que não se enquadram no padrão de beleza definido pelo mundo da moda e que têm que buscar lingeries e roupas sem graça, discretas e nada sensuais.

Não dá realmente para engolir essa imposição de padrão em tempos tão mudados. Essa tentativa e a indiferença da marca em relação a todas as manifestações de desaprovação só me fazem a ter cada vez menos admiração pela VS e mais certeza de que temos uma voz forte na sociedade e que a nossa forma de expressar essa voz tem ganhado cada dia mais força e espaço na nossa sociedade.

#iamperfect

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18 Comentários

  1. Annelize Costa
    03 de novembro de 2014

    As mulheres estão se posicionando mesmo! Foi-se o tempo que elas desejavam o corpo ideal, agora o nosso corpo é o ideal!
    Só nós sabemos se aquela gordurinha está no lugar ou não, nossa percepção tem de ser sempre pessoal, e não em comparação ao corpo das modelos que julgam ser o “ideal”. Adorei este post!!! Beijos!

    Responder

    • Ju Verly
      03 de novembro de 2014

      Exatamente, Annelize! Nós é quem sabemos se estamos bem ou não.
      Adorei a frase “o nosso corpo é o ideal”!
      Beijos!

      Responder

  2. Luciana Vilela
    03 de novembro de 2014

    Falou tudo: “tiro no pé” define. Esse tipo de propaganda só tem apelo para homens machistas, mulheres não se enxergam nessas campanhas!

    Responder

    • Ju Verly
      03 de novembro de 2014

      Foi-se o tempo, né, Lu?
      A relação com o consumidor mudou. A marca, ao invés de buscar fãs, está tentando causar polêmica e continuar famosa.
      Um erro…
      Cada vez menos admirada…

      Responder

  3. Malú
    03 de novembro de 2014

    Chega a ser uma ofensa a mulher brasileria (e a do mundo todo), afinal é só olhar em nossa volta, não vejo nunca mulheres como as da VS, só em desfile mesmo. E hoje tem as mulheres “bombadas”, imagina o que vão achar dessa campanha?

    Beijo lindinha e boa semana para ti

    Responder

    • Ju Verly
      03 de novembro de 2014

      Uma ofensa mesmo, Malu! Concordo com você!
      As brasileiras devem estar odiando também!

      Uma ótima semana pra você também!

      Responder

  4. Iara
    03 de novembro de 2014

    Acho que é só uma campanha, que por sinal eu achei muito bonita. As pessoas estão com essa mania do “politicamente correto” que é beeem chataa!!!! Eles só queriam passar que a mulher que usasse as lingeries ficariam bonitas como as modelos. O slogan não é “O corpo MAGRO perfeito”.Talvez as pessoas que se sentiram ofendidas é que não se sentindo bem com seus corpos, porque eu não sou magrela e não me senti ofendida. E quanto ao “falem bem ou falem mal, mas falem de mim”, pode até ter tido essa intenção, mas parece que quem ta aparecendo mesmo são as três estudantes né….

    Responder

    • Ju Verly
      04 de novembro de 2014

      Penso que não precisamos de nenhuma marca dizer que ficaremos bonitas como as modelos se usarmos os produtos que eles oferecem…
      Sabemos quem somos e que, apesar das nossas imperfeições, o nosso corpo é perfeito pra nós.
      Acho que, na verdade, as mulheres estão cansadas de padrões impositivos e “quadrados” como a definição do que é um “corpo perfeito”. Ainda que a intenção não tenha sido essa… Não há mais espaço para esse tipo de publicidade. As mulheres não são mais passivas e a forma de abordagem dos consumidores, de uma forma geral, não é mais a mesma. Somos interativos, dialogamos com as marcas. Desaprovamos quando não falam a nossa língua. As marcas que não se reinventarem e não souberem lidar com essa nova realidade vão perder cada vez mais a admiração e o carinho de seus fãs. Vão perder os próprios fãs!

      Responder

      • Iara
        04 de novembro de 2014

        Respeito sua opinião Ju, mas o que vc esta sugerindo não deixa de ser uma barreira à publicidade. A marca tem que se desculpar porque escolheu uma modelo magra? porque o slogan fala perfect? Pensamentos assim foram na linha de proibir a propaganda do “sabe de nada” na TV, a publicidade com desenhos como no caso da maçã da turma da mônica e produzem milhões de reclamações ao CONAR, ao ponto dele fazer uma propaganda na TV ironizando essas reclamações absurdas.
        Pra finalizar quero deixar um exemplo: tempos atrás o Vanish fez uma propaganda com o slogan “confie no rosa”. Todas as outras cores estão esperando um pedido de desculpa porque elas também são confiáveis. hehehhehe

        Responder

        • Ju Verly
          04 de novembro de 2014

          Não acredito que deva haver pedidos formais de desculpas, Iara. Isso é o que as clientes da marca estão esperando, por meio da citada petição online.
          Agora, desprezar o que essas mulheres, que compram os produtos fabricados pela empresa, sentem e pensam é que me parece um erro.
          Como contornar isso, eu realmente não sei. Mas acredito que algo possa ser feito.
          Ignorar os clamores de uma parcela tão grande de consumidores da marca não me parece uma boa estratégia de marketing nem demonstração de carinho e respeito.
          Mas cada um tem o direito de pensar o que quiser sobre isso, não é?
          É por isso que eu amo a blogosfera! Sempre bem democrática!
          Beijos!

          Responder

          • Ana Cristina
            07 de novembro de 2014

            Eu acho sim que caiba um pedido de desculpas. Tudo é questão de contexto. O problema é que a palavra PERFECT não está sozinha. Está acompanhada de BODY e tem uma representação em imagem da mensagem da campanha. Me perdoe, mas se eles quiseram dizer outra coisa, então a agência de publicidade foi de uma incompetência ímpar e subestimou a inteligência do mercado.
            As modelos nem parecem saudáveis. Algumas são extremamente magras, de uma maneira nada convencional. Como bem colocou a Ju, para ser assim, só com genética ou algum tipo de controle alimentar maluco. Ainda assim, o photoshop está lá, muito presente. Ou seja, de PERFECT não tem nada!!!
            Essa crítica ao politicamente correto é tão ou mais chata do que a própria postura politicamente correta. Afinal, não está escrito em lugar nenhum que uma pessoa não possa exercer o direito de ser chata. Se fosse criada uma campanha The Perfect Nose eu acho que ninguém aprovaria. Se a campanha não está fazendo apologia à um corpo excessivamente magro, por que não tem outro biotipo entre as modelos????

          • Ju Verly
            07 de novembro de 2014

            Adorei a ideia do “The Perfect Nose”, Ana! Acho que é bem isso mesmo! Não teria qualquer aceitação do mercado. Por que definir o que é um corpo perfeito, então? E, afinal, se é chatice de milhares de mulheres ao redor do mundo, que se sentiram ofendidas e irritadas com a publicidade, qual o problema, não é?
            Ótimas colocações!

  5. Gabriela
    03 de novembro de 2014

    Desculpa, mas não concordo com você. Eu acho super bacana as propagandas que você citou e tudo, acho sim que as pessoas tem que se manifestar para que a marca veja a insatisfação do público, mas não acho que seja obrigação da marca se desculpar. Se você analisar a propaganda o body está entre aspas, e está se referindo as lingeries, tanto é que no subtítulo tem – perfect fit, perfect confort, perfect soft. Em relação as modelos, não vejo escândalo em eles utilizarem as modelos da marca para fazerem a propaganda. E a respeito dos corpos dessas mulheres, mas uma vez você terá que me desculpar, mas elas não são nem de longe bolemicas ou anorexas, as meninas que estão na foto escura, por exemplo, são magras iguais as modelos. Indo pelo pensamento de Nietzsche você percebe que os dois lados estão impondo alguma coisa, no entanto as manifestações acabam sendo mais um pensamento de massa do que qualquer outra coisa, não vejo o bem em nenhum desses argumentos, apenas a imposição de interesses e o objeto de cálculo.

    Responder

    • Ju Verly
      04 de novembro de 2014

      Gabriela, respeito sua opinião sobre a publicidade. Mas penso que a “opinião da massa” seja, na verdade, o grito de milhares consumidoras da marca, que não têm um corpo perfeito (e têm consciência disso), não se sentem necessariamente mal com suas imperfeições, mas que estão cansadas dessas imposições de padrão pelo mundo fashion. O anúncio pode não ter sido proposital, mas foi infeliz. E ignorar o clamor de um mercado que consome o seu produto não é uma estratégia muito inteligente, no meu ponto de vista. Penso que publicidades desse tipo têm cada vez menos espaço entre as mulheres, que cada vez mais têm percebido sua beleza natural, seus valores e, exatamente por terem consciência disso, não aceitam mais imposições e determinações do que é o belo e essencial.

      Responder

  6. Michele Marcondes
    04 de novembro de 2014

    A indústria que trabalhe para atender mulheres reais em corpos reais, quebrando essa ditadura imposta pelos padrões da moda.

    Responder

    • Ju Verly
      04 de novembro de 2014

      É essa a ideia, Michele. Acho que as mulheres estão acordando para isso!

      Responder

  7. Diise França
    04 de novembro de 2014

    Haha falei tiro no pé no meu coment do outro artigo. É bem isso mesmo, Ju!
    O fato da marca não se pronunciar tbm é um desrespeito, não se importam mais com opinião das consumidoras? ¬¬

    Responder

    • Ju Verly
      04 de novembro de 2014

      Pelo que parece, não, Diise!
      Isso realmente é incompreensível, não é?

      Responder

Deixe um comentário!

*

%d blogueiros gostam disto: