Marca apaga mamilos das modelos!

Já vou avisando: o assunto é polêmico!

Quando o assunto é publicidade, marketing no mundo fashion, muitas vezes as polêmicas são inevitáveis, não é?

O assunto da vez são as fotos que a American Apparel, marca de roupas e moda íntima americana, acabou de lançar. Muito criticada por fotos quase pornográficas, a marca resolveu mudar a sua cara e a sua estratégia de marketing, tentando se distanciar da imagem de pornografia a que sempre esteve associada.

Algumas modelos foram fotografadas com lingerie bem transparente. Porém, na edição das imagens, decidiu-se pela “remoção” dos mamilos e pelos pubianos. Isso também porque as modelos são inquestionavelmente muito novas, o que sempre incomodou muita gente.

Marca apaga mamilos das modelos!

26D06B6700000578-3003131-image-a-10_1426800487965

rsanl303_white

rsanl307_02

A marca tem conseguido se distanciar da imagem negativa que tinha abraçando as causas do ativismo político, especialmente, no que diz respeito aos direitos gays e à reforma da imigração.

Como empresa, temos recursos que ativistas individuais não têm. Nós tentamos usar nossa abilidade especial para patrocinar causas políticas que precisam de ajuda. American Apparel normalmente utiliza propagandas, contatos na imprensa e até mesmo camisetas com dizeres que falam sobre esses assuntos importantes. Nossos dois maiores assuntos tem sido a Reforma da Imigração e os Direitos gays” (minha tradução), diz o website da marca.

politicalActivismKicker2            politicalActivismKicker5

Apagar os mamilos das modelos é uma outra forma, no ponto de vista da American, não somente de proteger a imagem de jovens modelos, mas de retirar a “sexualização” das fotos de modelos, levando-se em consideração a luta por direitos iguais.

As críticas a tudo isso têm sido vorazes (…)

Michelle Lytle, por exemplo, co-fundadora da marca de biquíni TaTa Top (aquela com o desenhos dos mamilos) defende que censurar as mulheres e fazê-las parecer manequins ou bonecas, é enfraquecer as mulheres, que não devem se sentir envergonhadas com seu corpo.

ttt_slider1

Lytle critica os esforços empregados pela marca no sentido de defender causas como os direitos gays e a imigração em Los Angeles, e pouco se importar com os direitos de igualdade das mulheres.

Bom, de, fato, a modelo se parece um pouco com uma boneca. Afinal, toda mulher tem mamilos, não é?

Fico dividida entre acreditar que, de fato, retocar as imagens é uma forma de torná-las menos pornográficas a determinado público e pensar que mulher é mulher e não há o que se esconder…

Realmente, quando olhamos as imagens, vemos que são mais ingênuas, puras, dificilmente vamos conseguir associá-las a qualquer tipo de pornografia ou qualquer outra coisa do gênero. Isso pode funcionar para o objetivo da marca.

Mas, ao mesmo tempo, penso que não se trata de uma revista pornográfica. Trata-se da venda de um produto, que deve ser mostrado como é. Sem visualizar os mamilos e pelos, não é possível observar quão transparente é o tecido das peças. Isso pode dificultar a venda online, por exemplo.

Então confesso que ainda não me decidi!

Mas acho toda essa discussão super interessante, faz com que a gente pense um pouquinho, né?

E você, o que tem a dizer?

Fonte: dailymail.co.uk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 Comentários

  1. Malú
    23 de março de 2015

    Difícil comentar um post deste Ju. Sou contra, acho lamentável que o mundo caminhe para a desmoralização total do que Deus criou: Homem e Mulher. O que passar disso……..não serve para mim. Me desculpe.

    Beijo

    Responder

    • Ju Verly
      24 de março de 2015

      Na verdade, Malu, o objetivo da marca é tornar as fotos menos pornográficas ao exibir os produtos.
      Achei interessante a iniciativa, embora não concorde com outras ideologias da marca…

      Responder

Deixe um comentário!

*

%d blogueiros gostam disto: